quarta-feira, 25 de julho de 2012

Quem me sacode???!!!

Relato(s) da Bia sobre as férias com os avós:

"Mãe, sabias que eu e o Tiago fomos andar de barco???


 - Foi querida?! Que bom!!!! E o que é que viste quando foste andar de barco?

 - Vi muitos peixinhos...Alguns até abriam a boca com sono... E vi muitas ondas...E vi barcos de piratas!!!

 - Barcos de piratas???!!!! A sério?

- Sim... Eram piratas de verdade mas tinham os tesouros VAZIOS! E um pirata até caiu ao mar e gritou: "Socorro, Socorrro, quem me SACODE??!!!! " :)






Piolhos, Piaget e dons-quixotes...


Admito que sim…

Admito, sobretudo, que sou…

Sim, sou-o!!!

Sou uma “dom-quixote” e, simultaneamente, uma “sancho-pança” (melhor diria, actualmente, uma "sancho-poupança"!) que luta por causas perdidas, ou melhor, causas minúsculas, microscópicas, invisíveis, até!!!! Mas que, literalmente, me fazem muita comichão intelectual!!! E sou, também, uma piagetiana acérrima que acredita que a capacidade de se colocar no lugar do outro é um dos expoentes máximos de desenvolvimento moral e, simultaneamente, cognitivo.

Ou não tivesse eu dado comigo a ser uma acérrima defensora dos…piolhos!!!!

Isso mesmo!!!! E não, não estou a falar dos meus filhos, mas sim das  criaturas saltitantes que armaram tenda, vivenda, quiosque e apartamento T3, T4 e T5 (com direito a vista privilegiada para cabelos loiros e afins) nas suas cabeças!!!!

Como é que alguém pode ser uma defensora dos piolhos???!!!! Pois, não faz sentido!!! O meu piolho Tiago também discorda que eu o seja, a minha piolha Bia ainda mais e o resto do mundo nem se fala…

Mas eu explico…

Enquanto escolhia aquele que pensava ser o melhor produto para combater a dita praga, fui confrontada com um anúncio publicitário me colocou face a vários dilemas morais, existenciais e…abdominais!!!!

O tal anúncio promete ser uma bomba atómica aniquiladora dos tais piolhitos, promete matá-los e não só!!!! Não se limita a uma morte qualquer… Promete um teatro de matança…Promete-lhes uma morte épica, fulgurante, explosiva, com requintes de perversão… Promete “rebentá-los”, “fazê-los explodir”, “fazê-los guinchar até morrer” e outros pormenores, numa gradação tétrica de fazer delirar de prazer os mais sádicos pediculóficos.

E quem é que promete tais façanhas??? Uma criança… Nove anos… Não terá mais, a julgar pela frescura da voz!!!

Sei que, para um ser humano normal dotado de normal instinto para a maternidade e proteção dos couros cabeludos das respectivas crias, tal anúncio irá fazê-lo regozijar-se de alegria… A mim fez-me regurgitar… Pois, não é normal, bem sei!!!

O que é prioritário é salvar a cabeça dos putos e não a vida dos piolhos, nem que para isso tenha que regredir dois estádios na escada desenvolvimento moral kohlberguiano ou, em nomenclatura piagetiana, passar de uma moralidade autónoma para uma moralidade completamente heterónoma.

Mas não consigo ser uma mãe normal e, pior, não consigo ser um ser humano simples, pragmático e predatório. Nem em questões de mera pediculose, caramba!!!!

Sou sensível até à medula e ouvir uma criança, num anúncio para piolhos, dizer, com nuances psicopáticas, que adora vê-los (aos piolhos) explodir, rebentar… Que os massacra todos, que os faz guinchar!!! Desculpem-me os fanáticos da higiene mas não suporto ouvir tais termos aplicados a criaturas vivas!!! Nem mesmo a piolhos!!!!

Imagino logo um holocausto ou um massacre norueguês na cabeça dos meus filhos mal lhes ponha aquela bomba de gaz anti-pediculose.

Sei que exagero nas comparações e na sensibilidade mas o respeito pela vida não se faz apenas à nossa escala ou em dimensões macroscópicas.

Ter prazer em fazer rebentar um piolho, em fazê-lo explodir, guinchar não é, em última análise, diferente do prazer de ver um Toiro estrebuchar de dor numa arena ou sentir prazer quando o outro cai, quando o outro se magoa, quando o outro sangra. Por isso é que ainda prefiro as “sestas bravas” às “festas bravas” (vide excelente cartoon abaixo).

Por isso é que, se tenho que escolher um produto para a pediculose, não escolho, certamente, aquele que apela a uma morte violenta dos pobres bicharocos mas sim a um que proteja a cabeça dos meus “piolhos” de futuras infestações e que proteja, simultaneamente, os mares e oceanos quando vai pelo ralo abaixo, não intoxicando os pobres dos peixes e algas que nada têm a ver com os piolhos do Tiago e da Bia.

Nesses prazeres eu não alinho. Para esses prazeres, eu não educo.

Primeiro, porque não quero educar sacanas morais.

Segundo, porque não educo futuros psicopatas.

Terceiro, porque sou uma mãe “dom-quixote-sancho-pança” que ainda pensa que vale a pena lutar por certos valores… Principalmente pelo respeito pela vida e pela capacidade de se colocar no lugar do outro…Mesmo que estes valores sejam, cada vezes mais, meras miragens e castelos de vento. E mesmo que esses “outros” sejam minúsculos… Mas isto sou eu…E mais uns quantos piolhos!!!!